Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos

Acesso ao Extranet

Pirelli: preview do Grande Prêmio de Singapura11/09/2017

Milão, 11 de setembro de 2017 – Após uma das corridas mais diretas da temporada em termos de estratégia, com apenas uma parada, em Monza, a Fórmula 1 agora aterrissa em uma das etapas mais táticas do ano, nas ruas iluminadas de Singapura. Os três pneus mais macios da gama P Zero, o macio, o supermacio e o ultramacio, foram mais uma vez levados para Singapura, como no ano passado. A corrida tem 61 voltas e normalmente termina perto do limite de duas horas, com mais de um pit stop. Além desse desafio incomum, há as considerações normais de uma pista de rua não permanente, como variáveis níveis de baixa aderência e a presença de mobiliário urbano, como tampas de bueiro e faixas de trânsito. Além disso, há uma alta probabilidade de safety cars, com 100% de ocorrências até o momento na história de nove anos dessa corrida.

Os três compostos selecionados

O circuito do ponto de vista do pneu

  • Com cada sessão começando tarde e continuando noite adentro, o padrão de temperatura e evolução da pista é diferente dos registrados nas sessões diurnas.
  • Com 23 curvas, os pneus trabalham muito. É uma curva após a outra.
  • Além de ser o circuito com mais curvas da temporada, Singapura também tem a segunda volta mais lenta do calendário, atrás de Mônaco. Uma combinação única.
  • Mesmo durante a noite, a temperatura ambiente permanece alta, causando um pouco de degradação térmica.
  • O pneu traseiro esquerdo é o mais exigido. Ele que determinará o número de pit stops.
  • A corrida foi vencida com uma estratégia de duas paradas no ano passado, mas diversos pilotos fizeram três.

 

Mario Isola, líder de competições de veículos da Pirelli: "Singapura é sempre uma das corridas mais empolgantes e imprevisíveis do ano. A estratégia de pit stops exerce um papel preponderante, também pelo fato da quase certeza da entrada do safety car em algum momento das duas árduas horas de corrida. Historicamente, a pole position tem uma forte influência em Marina Bay, fazendo com que o Classificatório seja decisivo. Para uma preparação adequada, as equipes terão que prestar muita atenção aos dados dos treinos livres, conforme a temperatura da pista evolui durante a noite de forma diferente a das tradicionais corridas diurnas. Compreender isso será determinante para lidar com os índices de uso e de degradação dos pneus e implementar uma estratégia de pneus efetiva”.

O que há de novo:

  • O pneu ultramacio foi o favorito das equipes em Singapura. O macio e o supermacio forma pedidos em quantidades mais modestas.
  • Não há grandes modificações no circuito este ano.
  • O programa de testes de pneus slick protótipos para 2018 continuou em Paul Ricard na semana passada. Lewis Hamilton e Valtteri Bottas pilotaram pela Mercedes, cumprindo toda a programação agendada.

Pressões mínimas para a largada na Bélgica

18,5 psi (pneus dianteiros) e 17,0 psi (pneus traseiros)

 

 

Limites de cambagem

-3,75º (pneus dianteiros) e -2,00º (pneus traseiros)

 

 

Pneus selecionados até o momento

Facebook  @pirellibrazil     Twitter  @Pirelli_Br     Instagram  @pirelli_br

 

 


voltar


Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos Todos os direitos reservados @2013

by contactonet